Por que os espanhóis estão vivendo mais?

A dieta mediterrânea aliada a um estilo de vida saudável aumenta a expectativa de vida da população.

Os espanhóis estão prestes a ultrapassar os japoneses na corrida para se tornarem as pessoas mais longevas do mundo. E isso pode ter uma relação direta com os hábitos alimentares da população, mais especificamente, com a dieta mediterrânea.

De acordo com um estudo publicado recentemente pelo Institute for Health Metrics and Evaluation, de Seattle, os espanhóis terão uma vida útil média de 85,8 anos em 2040, enquanto a dos japoneses será de 85,7 anos.

O fato dos pesquisadores considerarem que a dieta mediterrânea desempenha um papel importante na longevidade dos espanhóis não causa nenhuma surpresa. Já foi provado, por exemplo, que o consumo de peixes, legumes, frutas, castanhas, grãos integrais e azeite de oliva, presentes no cardápio dos povos dessa região, protege o coração, ajuda na perda e manutenção do peso e diminui o risco de enfartes, derrames e diabetes. Definitivamente, é um povo que sabe se alimentar bem.

Para Consuelo Borrás, professora de fisiologia da Universidade de Valência, o estilo de vida continua sendo o fator mais importante na expectativa de vida. “Não importa o quão bem você cuide de si mesmo em toda a sua vida, se você não uma composição genética específica, você não vai chegar aos 100. Mas quando se trata de longevidade normal – vivendo até os 85 anos, por exemplo – seu estilo de vida é mais importante do que a sua composição genética.”

Jeroen Spijker, pesquisador do Centro de Estudos Demográficos da Universidade Autônoma de Barcelona, ​​disse que o sistema universal de saúde da Espanha está ajudando as pessoas a viver mais do que em outros países, mas que a cultura alimentar do país também é um fator preponderante. “Frutas e legumes são acessíveis para todos”, disse ele. “Não é como nos EUA, onde você tem esses chamados ‘desertos alimentares’, nos quais você precisa dirigir por quilômetros antes de encontrar uma loja de frutas e vegetais – e, quando isso acontece, é ridiculamente caro”.

Ele também observou que as projeções de longevidade devem ser alteradas à medida que novas gerações atinjam a velhice. “As pessoas que estão chegando aos 100 anos nos dias de hoje são de uma geração que nunca fumou – especialmente as mulheres”, disse ele. “Eu ainda estou um pouco cauteloso sobre o efeito que as pessoas nascidas nos anos 50 e 60 terão na tendência nos próximos 20 a 30 anos, já que elas são a primeira onda de mulheres que fumam em massa”.

Dando uma volta no Mercado de Maravillas, em Madri, uma mulher que parecia ter seus 50 anos estava vagando pelos corredores cheios do mercado. María, que não quis dar seu sobrenome, tem 75 anos. “Sim: sete cinco.” Seu segredo? “Azeite, legumes, frutas, peixe, pouca carne, a cerveja ocasional e um pouco de vinho”, disse ela. “Ah, e você precisa aproveitar sua vida, seus amigos e, acima de tudo, sua família.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *